Um Plano de formação para os futuros padres da Diocese de Taubaté

Neste segundo semestre de 2015 o Conselho de Formadores, organismo responsável pela formação dos futuros padres diocesanos de Taubaté, reuniu-se em duas oportunidades para refletir sobre sua missão. Nessas reuniões, avaliando a caminhada já trilhada, traçou-se um itinerário a ser desenvolvido a partir do próximo ano.

Duas grandes preocupações nortearam a reflexão do conselho. Em primeiro lugar, refletiu-se sobre a grande responsabilidade que pesa sobre os padres reitores que são praticamente, os únicos formadores das respectivas etapas, filosofia e teologia. Isso leva, inevitavelmente, a se imprimir uma formação pautada por convicções meramente pessoais, enquanto a formação presbiteral precisa ser realizada pela Igreja e para a Igreja. Em segundo lugar, por melhor que fosse a formação oferecida pela reitoria do seminário, sempre que se dava a substituição dos padres formadores, o processo formativo sofria com a falta de continuidade, tornando os formandos os maiores prejudicados.

Para resolver esses problemas, o Conselho de Formadores da Diocese definiu, durante a primeira reunião deste semestre, as competências de cada padre conselheiro. Assim, ficou definido que ao Pe. Osmar Cavaca compete o acompanhamento da dimensão espiritual dos seminaristas; ao Pe. Leandro Alves, coordenador de pastoral diocesano, compete o acompanhamento dos estágios pastorais; por fim, aos padres reitores, Pe. Leandro Santos e Pe. Roger Matheus, compete a formação doutrinal dos seminaristas, bem como a organização, a administração dos seminários, a disciplina e a convivência dos formandos.

Coube a cada padre formador a composição e apresentação ao Conselho de Formadores, um projeto para atuação em sua área de competência (espiritual, pastoral e doutrinal) a ser desenvolvido em cada etapa do percurso formativo, filosofia e teologia, com a divisão do temário proposto para cada ano e a metodologia a ser aplicada. A última reunião do Conselho de formadores de 2015 debruçou-se sobre esse material para a sua avaliação e aprimoramento. De forma muito satisfatória, após uma manhã de muita discussão e trabalho, concluímos que com esse material a Diocese de Taubaté começa a compor o Plano Formativo dos seus futuros Presbíteros. Um desejo a muito tempo acalentado e uma necessidade sempre mais premente.

A partir de 2016 os seminaristas terão encontros periódicos com cada padre responsável por uma dimensão, dando início ao acompanhamento, a uma formação sistematizada e ao aprimoramento da caminhada formativa na sua globalidade. Sendo de competência dos padres reitores a formação doutrinal, os seminaristas da filosofia e da teologia estudarão o Catecismo da Igreja Católica, a fim de compreenderem o diálogo necessário que deve haver entre as Verdades de Fé que a Igreja recebeu do Senhor e transmite às novas gerações e as elucubrações filosófico-teológicas que na Faculdade têm acesso.

No âmbito do estágio pastoral, em cada etapa da formação e em cada ano formativo, haverá um objetivo geral e alguns objetivos específicos muito bem definidos, que deverão ser desenvolvidos e avaliados durante todo o ano a fim de se alcançarem a sua realização. Na etapa filosófica será oferecida aos seminaristas experiência pastoral de contato com as realidades existenciais mais desafiadoras da vida e do sofrimento humano. Se a Igreja deve ser Mestra em humanidade, sobretudo os seus ministros deverão se formar para bem conduzir os fiéis nesta ação. No período teológico a atenção dos formandos deverá se voltar para os desafios eclesiais: realidade sacramental, a formação do laicato, a dinâmica diocesana da pastoral, aspectos da colegialidade, corresponsabilidade e administração paroquial.

No aspecto espiritual, Pe. Cavaca deverá orientar os seminaristas quanto às diversas linhas de espiritualidade cristã, com ênfase na espiritualidade do padre diocesano. A espiritualidade será incentivada através da celebração ou participação assídua na Sagrada Eucaristia – e a transformação da vida cristã em uma “vida eucaristizada” – da Liturgia das Horas e da Lectio Divina. Paralelamente a este contato periódico com os seminaristas, desenvolvendo com eles uma formação teórica e vivencial, o padre responsável por esta dimensão da formação estabelecerá o acompanhamento com os diretores espirituais dos formandos, com propostas de atuação neste ministério tão necessário durante toda a vida do futuro Ministro da Igreja.

Toda a proposta desenvolvida pelo Conselho de Formadores foi apresentada ao Conselho de Presbíteros da Diocese. Com as considerações apresentadas pelos padres conselheiros, o projeto do plano formativo foi enriquecido e se encaminha para a execução a partir de 2016. Nos alegramos com esses novos passos da caminhada formativa dos futuros padres de nossa Diocese e contamos com as orações de todos os diocesanos para que esta missão – das mais exigentes e delicadas da Igreja – seja realizada da melhor forma possível para o bem da Igreja e de todos os fiéis.

Pe. Leandro dos Santos
Pe. Roger Matheus

Fonte: O Lábaro – dezembro/2015

Comente