O Tempo da Quaresma

Pensemos na Quaresma como num itinerário, um caminho. No fim deste caminho iremos celebrar a comunhão com Deus e com os irmãos, isto é, a Páscoa.

A Quaresma nos traz alguns pontos que devemos considerar:

1- Itinerário de fé. Iniciado com Abraão, que saiu de sua terra natal, deixando tudo para trás, para perseguir uma promessa feita por Deus, a de ser “pai de uma grande multidão” (Gn 17,5). Esse itinerário continuou sendo feito pelo povo eleito, Israel. Hoje ele é feito pelo novo povo de Deus, a Igreja, no seguimento de Jesus Cristo.

2- Itinerário da Aliança. As leituras do Tempo da Quaresma nos dão conta do desenrolar da História da Salvação: tem início com a aliança feita com Noé, representante da humanidade purificada pelas águas do dilúvio, e por meio dele com toda a criação; aliança que se torna mais concreta com o pacto feito com Abraão, do qual surge o conceito de Povo de Deus, o qual se firma na Aliança do Sinai e, por fim, se torna definitiva na Nova Aliança firmada pelo sangue de Jesus Cristo.

3- Itinerário de conversão. Deus é sempre fiel à sua aliança. O povo nem sempre. Daí a necessidade de conversão. De purificação de tempos em tempos. É neste prisma que vamos entender como purificadores o dilúvio, os 40 anos de Israel no deserto, o batismo de “fogo” proposto por Jesus. Hoje, nos exercícios penitenciais da quaresma buscamos uma verdadeira conversão para o Evangelho anunciado por Jesus.

4- Itinerário batismal. Tomamos parte na Nova Aliança com Deus em Cristo pelo batismo. Não somos fiéis ao nosso batismo todo tempo. Pecamos. Deste fato surge a necessidade de nos convertermos, de nos purificarmos e nos reconciliarmos com Deus e os irmãos. Na Páscoa renovaremos os nossos compromissos batismais, na Vigília Pascal. Antes, porém, iremos rever nossas atitudes, pedir perdão pelas falhas e infidelidades e renovaremos nossos propósitos de sermos filhos fiéis a Deus e irmãos mais compassivos. Neste sentido, os exercícios quaresmais devem levar-nos a crescer em comunhão e fraternidade, objetivo do batismo que nos introduz na Igreja e na grande família de Deus.

Fonte: O Lábaro – fevereiro/2016