Crisma: o Espírito Santo dom de Deus

Quero dedicar esse espaço para propor uma reflexão sobre o sacramento da Crisma e o Espírito Santo como dom de Deus. Quando se fala do Espírito Santo, em geral, se enfatiza seus sete (ou infinitos) dons. Porém, o próprio Espírito é o dom que Deus nos concede. Na Igreja, esse dom nos é sacramentalmente concedido pela Crisma, que é um dentre os chamados “Sacramentos da Iniciação Cristã”, que são: Batismo, Eucaristia e Crisma. Esses três sacramentos são inter-relacionados e marcam o início da vida cristã. No Catecismo da Igreja Católica, vemos que a Crisma é também chamada de Confirmação, por ser a “Confirmação do Batismo”. Porém, aqui é necessário fazer uma distinção: a Crisma não confirma o Batismo enquanto tal, pois, como sacramento não precisa ser ratificado. A Crisma é confirmação da graça batismal, ou seja, da fé que recebemos no Batismo.

O Sacramento da Crisma nos concede o dom do Espírito Santo que nos une mais perfeitamente a Cristo e à Igreja. Pelo Batismo nós já recebemos o Espírito Santo para viver como cristãos. Nós fomos batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Na Crisma nós recebemos o mesmo Espírito como força e encorajamento para que, destemidamente, testemunhemos a fé. Nós recebemos o sacramento da Crisma para que possamos anunciar Cristo por palavras e atitudes, a exemplo dos apóstolos que, a partir do dia de Pentecostes, corajosamente, anunciaram o evangelho (a boa notícia) da salvação em Cristo por todo o mundo.

Cabe ao bispo, como sucessor dos Apóstolos, conferir o sacramento da Crisma. Isso é significativo e evidencia que toda a Igreja de Jesus, ou seja, todos nós batizados, temos um vínculo apostólico; temos a missão de difundir, de testemunhar a fé. A palavra “apóstolo” significa “enviado”. Como discípulos, somos enviados por Jesus a anunciar aos outros tudo o que dEle nós aprendemos (cf. Mt.28,19-20). O Espírito Santo, recebido na Crisma, nos habilita para essa missão. Jesus diz: “aquele que der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante do Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me renegar diante dos homens, também eu o renegarei diante do Pai que está nos céus” (cf. Mt.10,32-33).

Jesus é movido pelo Espírito Santo e aquele que é crismado se dispõe e se compromete a viver deixando-se conduzir pelo mesmo Espírito. Jesus disse: “Vocês receberão o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome. Ele vos recordará tudo que eu vos ensinei e vos ensinará todas as coisas” (Jo. 14, 26). Além de nos recordar o que Jesus nos ensinou, o Espírito Santo nos inspira, em cada situação, aquilo que é agradável a Deus, o que é de acordo com sua vontade, a fim de vivermos santamente, como cristãos. É o Espírito Santo que nos faz santos. Ele é santificador.

Na celebração da Crisma temos significativos gestos, que constituem o sacramento (sinal visível), são eles: a imposição das mãos do Bispo, a oração da Igreja que pede o Espírito Santo e a unção com o óleo do Crisma, com o qual é marcada a fronte do crismando. A palavra Crisma vem da mesma raiz da palavra Cristo, que significa “ungido”. Jesus é o ungido do Pai para uma missão. Pela Crisma nós somos ungidos, isto é, “cristificados”, unidos a Cristo e participantes da sua missão: “como o Pai me enviou, eu também vos envio” (Jo.20,21). O cristão que toma consciência disso, poderia desprezar essa graça? Por isso, todo aquele que é de Cristo, deve receber o sacramento da Crisma. No livro dos Atos dos Apóstolos encontramos um significativo episódio em que os apóstolos Pedro e João vão até a Samaria, pois ficaram sabendo que muitos tinham acolhido a fé e só recebido o Batismo. Lá chegando, eles impuseram as mãos para que, os que já tinham sido batizados, recebessem o Espírito Santo (At 8,14-17). Que nenhum batizado deixe de receber essa graça!

Recorramos sempre ao Espírito Santo pedindo para sermos iluminados e conduzidos, por Ele. Rezemos frequentemente a oração que lhe é dedicada.

Dom Wilson Angotti

Vinde Espírito Santo, enchei o coração dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito e renovareis a face da terra.

(Oremos-) Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação, por Cristo, Senhor Nosso. Amém.