Pastoral Carcerária realiza reflexão sobre o irmão preso

noite-reflexao-irmao-preso (4)

No dia 30 de junho a partir das 19h30 no Centro Pastoral Santa Teresinha em Taubaté aconteceu pela terceira vez neste ano a noite de reflexão sobre o irmão preso.

Na ocasião recebemos o coordenador da Pastoral Carcerária do Estado de São Paulo: Deyvid Livrini.

Após apresentação musical e oração, Deyvid Livrini, falou brevemente sobre os massacres ocorridos no Carandiru no ano de 1992, atualizou os dados prisionais e os trabalhos da Pastoral Carcerária no Estado de São Paulo ao longo destes últimos tempos.

Em seguida, ouvimos o rico testemunho de um irmão encarcerado do regime semiaberto da penitenciária 2 masculina de Tremembé e também de uma irmã ex-encarcerada que estava na penitenciária 2 feminina de Tremembé.

Em simples palavras, os dois testemunhos demonstraram como a Pastoral Carcerária incentivou e restaurou suas vidas.

Após este momento, houve também a leitura de algumas cartas de irmãos presos e uma partilha sobre este trabalho realizado também pelos agentes da Pastoral Carcerária.

Este serviço que realizamos é chamado de ministério de cartas, na qual conta com algumas pessoas que se correspondem com os irmãos encarcerados, dirigindo-lhes palavras de fé e esperança, com o firme propósito de evangeliza-los.

Em seguida, terminamos o momento com breve oração e com um lanche oferecido aos presentes.

Na ocasião, o coral mirim Beata Albertina da paróquia Menino Jesus de Caçapava abrilhantou a nossa noite de reflexão sobre o irmão preso, demonstrando a importância do trabalho preventivo para que não se tenham mais e mais pessoas encarceradas.

Agradecemos a todos os envolvidos neste momento formativo e informativo, sobretudo, aos membros da Pastoral Carcerária diocesana, ao Conselho de Comunidade, Movimento das Aldeias de Vida, Movimento Mãe Rainha e ao Colegiado de Organismos e Pastorais Sociais que muito colaboram conosco.

Também estendemos nossos agradecimentos ao Secretariado de Pastoral pela ajuda e apoio na estrutura deste momento reflexivo sobre o irmão preso.