Igreja em Caçapava tem Eucaristia profanada

Da redação

Na madrugada do dia 02 deste mês de junho, a igreja de São Sebastião, em Caçapava, foi arrombada e a eucaristia de seu sacrário, profanada.

Na manhã daquele dia, viu-se que o tabernáculo havia sido aberto à força e a eucaristia, espalhada pelo chão. Nada foi roubado, curiosamente. Não se sabe, ainda, quem foram os responsáveis por esse sacrilégio.

A comunidade, que pertence à paróquia Nossa Senhora da Ajuda,lamentou profundamente o ocorrido e celebrou, em dois dias diferentes, atos de reparação a Deus por esse pecado.

Na noite do dia 04, por iniciativa dos próprios fiéis, foi feita uma procissão e uma celebração luminosa em desagravo a Jesus.

Já no dia 07, dom Wilson, bispo diocesano de Taubaté, presidiu a santa missa de desagravo na São Sebastião, para que o povo pudesse voltar a se reunir e celebrar sua fé naquela capela.

Sempre que uma igreja é, de alguma forma, profanada, é preciso, antes de retomar sua vida litúrgica, que um rito penitencial seja ali realizado. Ele costuma ser oficiado pelo bispo, que convida o povo a reparar as injúrias cometidas contra Deus naquele lugar santo.

Nesses casos, todos os sinais de júbilo, como toalhas e velas, não são colocados no altar até que o bispo proceda com as orações de desagravo e com a aspersão da igreja. É um sinal de penitência por parte da comunidade.

Após isso, o altar é novamente coberto e adornado, como em festa, para que a santa missa prossiga e a liturgia volte a ser celebrada naquele templo.

Fonte: Jornal O Lábaro – edição junho 2018

Fotos: Taubaté Católico