destaque_brasao_dom_wilson

Brasão Episcopal

BRASÃO DE ARMAS DE DOM WILSON

DESCRIÇÃO:

O brasão episcopal é caracterizado pelo chapéu com doze borlas pendentes, em cor verde. Abaixo a Cruz Pastoral dourada e sobre ela o escudo com os elementos que identificam cada bispo. Especificamente, este escudo, possui fundo azul sobreposto por uma cruz dourada, que o divide em quatro campos. No campo superior esquerdo, a flor de liz e, no inferior, um lírio do campo. À direita, perpassando e unindo os dois campos, doze chamas que partem do alto e chegam até embaixo. No centro da cruz destaca-se um coração. Abaixo do escudo, um listel prateado traz a inscrição “Cor Unum” (“Um só coração”).

SIMBOLOGIA:

O chapéu simboliza Jesus Cristo, cabeça da Igreja, e seus doze apóstolos. A cruz pastoral dourada recorda que o ministério do bispo está em referência e continuidade com o ministério pastoral de Cristo.

O Escudo tem como fundo a cor azul que evoca o infinito e o próprio Deus. No campo superior esquerdo, a flor de liz faz referência à Nossa Senhora, que sob os títulos respectivos: do Carmo e da Boa Viagem é Padroeira da Igreja Diocesana de Jaboticabal, da qual o novo Bispo é oriundo e também da Igreja Metropolitana de Belo Horizonte, onde ele inicia a missão episcopal.

O lírio, no campo esquerdo inferior, recorda São José, guardião da Sagrada Família e patrono de toda a Igreja. No centro do brasão, o coração é referência ao Sagrado Coração de Jesus, em cuja solenidade litúrgica realizou-se a Ordenação Episcopal. Ele é também uma referencia à caridade pastoral que deve caracterizar o bispo no exercício de seu ministério pastoral.

A cruz dourada que perpassa todo o brasão simboliza o trono glorioso de Cristo e a redenção que Ele nos permitiu através de sua morte e ressurreição. O anúncio da salvação realizada por Cristo deve chegar a todos e a cruz, indicando os quatro pontos cardeais, recorda a universalidade da missão da Igreja. As doze chamas dispostas de alto a baixo no brasão recordam-nos que a força vem do alto. Elas simbolizam os doze apóstolos, dos quais os bispos são sucessores. Intimamente unidos a Cristo e animados pelo Espírito Santo eles são enviados pelo próprio Cristo como continuadores de sua missão.

O listel prateado traz a inscrição latina “Cor Unum” que é o lema assumido pelo novo bispo. Esta expressão bíblica é tomada dos Atos dos Apóstolos 4,32. É uma referência afetuosa de dom Wilson à Taquaritinga (SP), sua cidade natal, que ostenta, em seu brasão e hino, a mesma expressão. Ela foi escolhida pelo Cônego Lourenço Cavallini, antigo pároco do local, que batizou esse que é o primeiro padre e primeiro bispo ordenado na Cidade.

O conjunto todo expressa a ideia de Igreja em comunhão. A partir do mistério pascal de Cristo, nasce a Igreja, que por Ele foi querida e preparada. A Igreja de Cristo se manifestou ao mundo no dia de Pentecostes e tem os doze Apóstolos como seu fundamento. Todos os membros da Igreja, tanto os que peregrinam neste mundo como os que já estão na glória, unidos à Nossa Senhora e a São José, constituem com Cristo um só coração.

Fonte: Arquidiocese BH e Programa Retratos da Catedral de BH